Arquivo para banco de dados

Gravando e Lendo dados no Mysql com Python

Posted in Linux, Programação with tags , , , , , , , on 4 / junho / 2008 by medeubranco

Dando continuidade ao que comecei em Dos Sistemas em Access para o Linux e Python, MySQL e adeus, Access, vou mostrar para o Cléberson como ele pode conectar ao MySQL seu programa em Python.

Estou acreditando que o Cléberson já conseguiu instalar o MySQL, o Python e o python-mysqldb e já consegue executar alguma coisa em python.

python-mysqldb é um módulo para o python. Deve ser importado no seu programa com a linha abaixo:

import MySQLdb

Com o modulo importado, podemos então criar uma conexão:

conexao = MySQLdb.connect('endereço do servidor' , 'usuario do mysql' , 'senha')

É bom definir o banco de dados dentro do MySQL que você vai usar:

conexao.select_db('meubanco')

Simples assim. Três linhas e o Cléberson já tem uma conexão com o MySQL em Python. Na realidade a conexão mesmo depende só das duas primeiras linhas.

Pausa. Me adiantei demais.

Vamos criar um banco de verdade agora para podermos usá-lo com o Python.

Como o Cléberson já fez a lição de casa e já sabe usar algum cliente do MySQL, ele só precisa dar 2 comandinhos no cliente MySQL que ele prefere:

create database teste;

create table teste.pessoas (nome varchar(60), idade int);

Pronto. Está criado o banco teste, que contém a tabela pessoas. A tabela pessoas tem dois campos: nome e idade. O campo nome aceita strings (texto) com até 60 caracteres. O campo idade aceita números inteiros.

Ao Python, finalmente. Faremos dois programas: uma para gravar dados na tabela pessoas, outro para exibir estes dados no terminal. Cléberson, eu peço que tenhas paciência. Nosso programa não vai ter janelas ainda. Vai rodar no terminal.

Código do primeiro programa:

# importar o modulo para 'falar' com o MySQL
import MySQLdb

def gravarPessoa(cursor,nome, idade):
    sql="insert into pessoas values( '" + nome + "'," + idade + " ) "
    try:
        cursor.execute(sql)
    except MySQLdb.Warning, w:
        print w
    except MySQLdb.Error, e:
        print "Erro executando \n " + sql
        print e

# criando uma conexao mysql
# com o servidor na mesma maquina( localhost )
# usuario root do mysql
# e senha em branco
conexao=MySQLdb.connect( 'localhost' , 'root' , '' )

# selecionando o banco 'teste'
conexao.select_db( 'teste' )

#criando um 'cursor'
cursor=conexao.cursor()

sair=None
while sair<> 'S' :
    nome=raw_input( 'Digite o nome: ' )
    idade = raw_input('Digite a idade: ' )
    gravarPessoa( cursor , nome , idade )
    sair = raw_input( ' Digite S para sair ou tecle enter para continuar ' )

Agora salvaremos este arquivo como gravadados.py e no terminal exacutamos com python gravadados.py

O próximo artigo vai só mostrar como exibir os dados do MySQL.

Até lá.

Python, MySQL e adeus, Access

Posted in Linux, Programação with tags , , , , , , , , on 3 / junho / 2008 by medeubranco

Este post é continuação desse outro.

É, o Cléberson ficou mesmo interessado nas ferramentas que o Linux oferece.

Pois bem, Cléberson, primeiro vamos falar para que serve cada uma delas.

Os sistemas que o Cléberson desenvolveu e que tanta glória lhe trouxeram são basicamente compostos de um ou mais formulários de entrada de dados, outros de consulta e visualização desses dados e o banco de dados propriamente dito.

O Cléberson estava acostumado a desenvolver e gerenciar tudo isso de dentro de uma mesma ferramenta, o MS-Acces.

Agora, Cléberson, é hora de dividir. Cada coisa no seu devido lugar, cada ferramenta para o sua devida finalidade. No final a gente integra tudo.

Então teremos:

  • Um sistema de bancos de dados
  • Uma linguagem de programação que possa se comunicar com o banco de dados
  • Uma maneira de fazer “Janelas” com essa linguagem de programação
  • Uma maneira mais fácil de fazer Janelas

Lá vai:

1 – Banco de Dados MySQL

Para armazenamento de dados, as tabelas e consultas, vamos usar o MySQL. O MySQL é um SGDB, Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados, que é livre e gratuito. Grandes instituições usam o MySQL e estão satisfeitas, mas o Cléberson também pode usar o MySQL nos seu sistemas, e também ficar satisfeito. Sabia, Cléberson, que o MySQL roda também no Windows?

Não se esqueça, Cléberson, de instalar o MySQL-Query-Browser junto com o servidor MySQL. Vai ficar muito fácil criar tabelas e fazer suas consultas com o Query-Browser.

Ah, Cléberson, me esqueci de avisar que você vai precisar aprender uma linguagem nova, a SQL. SQL é uma linguagem padronizada para consulta e manipulação de dados. SQL não é difícil, Cléberson, vale a pena conhecer. O Próprio Access a utiliza quando você cria uma consulta. Dá uma olhadinha no “modo SQL” das suas consultas no Access. Viu? Aquilo é SQL, mas SQL não precisa ser confusa daquele jeito. É que o Access nao gosta que você saia do modo estrutura, então ele gera um SQL bem confuso pra você se assustar.

2 – Linguagem de Programação Python

Eu sei, Cléberson, que você quer criar logo os formulários de entrada de dados. Mas a gente não está mais dentro do Access. Seus formulários precisam fazer alguma coisa, reagir aos cliques do usuário, gravar alguma coisa no banco de dados e exibir esses dados para o usuário.

Para isso, vamos ter que aprender a programar. Não, Cléberson, isso não é ruim. Essa é a parte mais divertida, e o Access sempre tentou esconder isso de você.

Python é uma linguagem de programação interpretada orientada a objetos.
É de fácil aprendizado e muito versátil. Python também existe para Windows.

Onde o cléberson pode aprender Python:

3 – PyGTK, Python e Janelas GTK

PyGTK é um módulo para python que permite criar interfaces gráficas bonitas e funcionais. A biblioteca base é a GTK, a mesma dos programas do Gnome (aquelas janelas bonitas do Ubuntu).

Um próximo artigo aqui vai dar um exemplo legal de como criar uma janela em PyGTK.

Até lá, google nele.

4 – Desenhando janelas facilmente com Glade

O Glade é uma ferramenta para criação de janelas GTK do modo mais fácil: com o mouse.

Nem vou falar muito aqui sobre o Glade, porque um cara legal resolveu fazer um vídeo super maneiro sobre essa ferramenta. Veja o vídeo e entenda o que é o glade em http://blog.ogmaciel.com/?p=415

Creio que o Cléberson, agora, já tem uma idéia de como se podem fazer programas legais no linux.

Nos próximos artigos nós vamos fazer alguns exercícios juntos. Até lá.

Dos sistemas em access para o Linux

Posted in Linux, Programação with tags , , , , , , , , on 3 / junho / 2008 by medeubranco

Se tem um tipo de usuário que não deve ficar nada feliz com uma migração para plataformas abertas é o Cléberson, o estagiário mini-gênio do MS-Access.

O carinha aprendeu access no curso técnico e gostou do negócio, aprendeu a criar tabelas, consultas, formulários, aprendeu até a brincar um pouco com o VBA. O setor em que ele trabalha, apesar de dispor de equipamentos e infra-estrutura, vivia na idade das trevas em termos de TI, e ele percebeu ali oportunidade de mostrar serviço.

Em poucos dias apresentou à gerência, pronto, seu SIC – Sistema de Informatização das Coisas, e com ele conquistou fama e glória.

Agora os caras vêm querer tirar do Cléberson seu brinquedinho! Que papo de Linux é esse?! E esse tal de OpenOffice?!

Bem, Cléberson, o Linux realmente não tem o Ms-Access. Juro que a migração não foi planejada pra te sacanear, embora pareça. Os caras da TI não gostam de gente invadindo seu território, mas você só participa nessa história de migração como o ponto chave que foi negligenciado.

Mas não, Cléberson, você não deve ficar triste. Essas coisas maravilhosas que você faz com o MS-Access podem ser feitas no Linux com outras ferramentas.

Se você estiver disposto, vou lhe mostrar nos próximos artigos deste blog o MySQL, o python e pygtk. Garanto que você vai rapidinho fazer coisas tão legais quanto fazia com o seu velho amigo MS-Access.